ralphlaurenpoloukshops.org ralph lauren uk
Oswaldo Montenegro


 

 Oswaldo Montenegro - nova turnê 2020: “Balada Para um Ex-Amor”

 

NOS FORMATOS: BANDA E SOLO

 

Clipe oficial: https://youtu.be/gnxdAMDbCjk

 

Em seu novo show, “Balada Para um Ex-Amor”, Oswaldo Montenegro faz uma fotografia dos desencontros do nosso tempo.

 

O show, homônimo da música que dá nome ao espetáculo e é sucesso na internet, (“Fala da sua dor, que eu conto o que passei / O tempo passou por nós como o vento quebrando o telhado que abriga a esperança”), aborda diversos tipos de separação e de sentimentos dos ex-casais, nessa época de constantes trocas de parceiros e sonhos.

 

Através de canções que compôs ao longo da carreira, o artista conduz o público por subtemas:

 

- Os afetos sólidos que o tempo fraturou, representado por “Se Puder sem Medo” (“Deixa em cima dessa mesa a foto que eu gostava, pr’eu pensar que o teu sorriso envelheceu comigo”).

 

- Os términos sem dor, como em “Taxímetro” (“Eu só estranhava quando te via nua e preferia de vestido bordeaux”).

 

- A dificuldade em admitir o fim do sentimento, como a bailarina de “Bandolins” (“Ela dançava só, na madrugada, se julgando amada ao som dos bandolins”).

 

- A alegria de se libertar das relações sufocantes, presente em “Eu quero ser feliz agora!” (“Se alguém disser pra você não dançar e que nessa festa você vai ficar de fora... não acredite, grite sem demora: eu quero ser feliz agora”).

 

- A paixão que se transforma em amor fraterno e sem fim, como em “Por Brilho” (“As coisas se transformam, isso não é bom nem mal”) e em “Lua e Flor” (“Eu amava como jamais poderia se soubesse como te contar”).

 

- O reencontro que surpreende com a ausência de qualquer resquício do antigo sentimento, como em “Quem Havia de Dizer” (“A gente se vê qualquer dia, grande abraço e, quem diria, sem sequer nos lamentar”).

 

- A alegria de não sentir mais a paixão, como em “Mais Leve e de Branco” (“Que maravilha não sentir mais amor... olhar a rua sem meu olho te procurar e achar a tua simpatia em qualquer lugar”).  

 

E assim, passeando pelos afetos em suas diversas cores e matizes, Montenegro questiona a si e ao público sobre como lidar com esse novo tempo, em que nos separamos a toda hora, e paradoxalmente sonhamos com o amor eterno.

 

O show “Balada Para um Ex-Amor” conta, como é constante nos trabalhos de Montenegro, com um time de virtuoses no palco: Madalena Salles na flauta, Sergio Chiavazzoli nos violões, guitarras e bandolins, Alexandre Meu Rei no baixo e nas guitarras. Músicos que acrescentam intimidade e emoção a esse projeto, em que o menestrel conta histórias sem pretender conclusões sobre elas, preferindo, isso sim, perguntas, como em “A Lista” (“Faça uma lista de grandes amigos / Quem você mais via a dez anos atrás / Quantos você ainda vê todo dia / Quantos você já não encontra mais”).

 

 

“Oswaldo Montenegro e Renato Teixeira” - A emoção de um encontro 

 

 

   Oswaldo Montenegro e Renato Teixeira, dois grandes artistas da música brasileira, se encontram no palco.


 Amigos há muito tempo, sempre sonharam com esse encontro. Esse dia chegou e o público vai poder assistir aos dois poetas cantando versos um do outro, se irmanando em clássicos como “Bandolins”, “Tocando em Frente”, “A Lista”, “Romaria” e tantos outros.


Neste espetáculo, as influências do barroco mineiro trazidas por Montenegro se conjugam ao folk de Renato, e encontram guarida nos sons espaciais da guitarra de Alexandre Meu Rei, que também se reveza na viola de 12, além do piano de Yan Montenegro, do violão de Natan Marques e da flauta virtuose de Madalena Salles. São músicos raros, colorindo o show de dois cantores que fazem a plateia sorrir e molhar a alma de emoção. Emoção da terra, emoção da vida, emanada de duas personalidades tão peculiares e distintas, com afinidade de almas irmãs. Dois rios diferentes que, por alguma razão mágica, se percebe que vêm e vão para o mesmo lugar.

 

 

 

©2014 . Todos os direitos reservados  .  Desenvolvido por Agência Natural